Discursos

01/02/2020

DISCURSO PROFERIDO NA COLAÇÃO DE GRAU FB UNI 2019.2 (FEVEREIRO/2020)

Tales de Sá Cavalcante

Prezada Professora Fernanda Denardin, em nome de quem saúdo todos os participantes da mesa;

Autoridades presentes;

Professoras e Professores, Coordenadoras e Coordenadores, Psicóloga, Colaboradoras e Colaboradores do Centro Universitário Farias Brito;

Ilustres graduadas e graduados;

Senhoras e senhores;

Boa noite.

 

Estimadas e estimados concludentes.

Este momento certamente encontrar-se-á entre as suas melhores lembranças, como um dos mais importantes de suas vidas.

É uma noite para fazer justiça a uma grande conquista, e são por demais merecidas as homenagens desta solenidade. Entretanto, peço-lhes vênia para dividir as honras de hoje com outras pessoas. Elas também as merecem.

Refiro-me, inicialmente, às suas mães e aos seus pais, afinal foram eles que ligaram o relógio da vida de cada um de vocês, acompanharam o movimento dos ponteiros e vivenciaram o mais belo dos sonhos: a boa educação de seus filhos. De igual modo, são dignos de felicitações avós, avôs, irmãs, irmãos, madrinhas, padrinhos, cônjuges, namoradas, namorados, noivas, noivos, amigas e amigos. Cada um deles tem direito a uma fração do diploma correspondente.

Merecem, também, justa homenagem todos os educadores que os conduziram até aqui, com destaque para os professores, desde os das primeiras letras até os do grau superior. Eles lhes forneceram lições para toda a vida.

Entre os educadores, desejamos homenagear, sobretudo, todos os nossos colaboradores, psicóloga, coordenadores, diretores e, especialmente, os professores do FB UNI. Em suas aulas, eles priorizam o respeito aos valores humanos e a defesa da Cultura da Paz, tão difundida pela Unesco. Com os docentes do Centro Universitário Farias Brito, vocês assimilaram o necessário para se tornarem profissionais competentes em diversas áreas. Nossos mestres seguem a orientação imortal do grande Genuino Sales quando nos ensinou: “Educação se faz com talento. E não se faz sem amor.”

Em recente artigo, veiculado no Jornal O Povo, escrevi: “Antes, os líderes eram exaltados por serem grandes generais a vencer guerras. Agora, a exaltação é o recebimento do Prêmio Nobel da Paz.” E o Brasil nos deu, recentemente, lições de otimismo ao verificarmos a fortaleza de nossas instituições. Foi imediata a reação dos brasileiros no triste episódio recém-protagonizado pelo então Secretário da Cultura, Ricardo Alvim. Afinal, quem parafraseou Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista, merecia todas as ações exercidas pelos Três Poderes e por grande parte da população, o que redundou na sua exoneração.

Diletas e diletos bacharelas e bacharéis.

Esta é a noite da confirmação de uma escolha, e desejamos que esteja em sintonia com o pensamento não de um nazista alemão, senão de um físico brasileiro, Marcelo Gleiser. O cientista nos ensinou que “no futuro, a aposta será na pessoa e não no diploma”. A afirmação nos conforta, uma vez que os profissionais do FB UNI, no presente, já vivenciam o futuro.

Não estamos aqui apenas para entregar-lhes diplomas, mas com a sensação de missão cumprida, por meio da firme intenção que tivemos de bem prepará-los. Nossos votos são para que cedo venham os frutos oriundos das competências e habilidades por vocês obtidas. Estas, juntamente com os traços genéticos, distinguem os seres humanos uns dos outros, e, como maravilha de nossa natureza, cada um de nós possui um distinto universo em seu interior.

Notáveis diplomadas e diplomados.

O momento da Graduação é também momento de reflexão. Qualquer que seja sua futura profissão, inevitavelmente esta será de teor provocador, a objetivar uma ação em prol da humanidade. E, em virtude dos atuais índices de nosso país, o desafio será mais intenso. Por isso, espera-se que vocês, uma vez dotados de nível superior, tenham ações superiores em favor de seus semelhantes.

Dados revelados no recente encontro de Davos apontam o Brasil na 80ª posição entre 132 países. As notas brasileiras pioraram em 5 de 6 itens do indicador. Na análise da “relevância da Educação para a economia”, o Brasil caiu para o 126º lugar. E, de 2011 a 2018, o número de brasileiros com declaração de saída definitiva para o exterior aumentou de 8.170 para 23.271.

Esses dados foram apresentados no Jornal da Cultura, ocasião em que o historiador Leandro Karnal argumentou que há dois motivos para termos a chamada ‘fuga de cérebros’: o primeiro, em época de ditadura, como foi na Argentina, com grandes cientistas e artistas indo para outros países, e o segundo, quando não há condições de pesquisa, como no Brasil atual. Para Karnal, “enquanto houver o discurso de que universidade não é importante, que pesquisa científica é perda de tempo, que o importante é apenas o que seja concreto, estaremos com uma visão terceiro-mundista, equivocada e que leva o Brasil a reforçar seu atraso.”

Nobres graduadas e graduados.

A solução para o nosso país, entre outras atitudes, é que não o deixemos e o eduquemos. Espero que nunca vocês integrem listas de saída definitiva do nosso querido Brasil. E, em nome do futuro das crianças de hoje, é nossa função elevá-lo ao nível dos países desenvolvidos.

Lembrem-se: está em suas mãos mudar esse quadro para uma nação que seja referência, possua índices que nos orgulhem e tragam a cada brasileiro a satisfação pessoal de fazer o bem a outro brasileiro.

Assim como um país é feito de uma soma de esforços individuais que se traduzem numa coletividade, qualquer grande causa só é vencida se houver uma forte mobilização. Como exemplo, observamos no momento todos unidos em prol da extinção da pandemia de Coronavírus, que já chega a outras nações além da China. É com os países de mãos dadas que o mundo vencerá o vírus.

Hoje, ilustres bacharelas e bacharéis, vocês também dão início a uma nova fase que poderá ser exemplo para as próximas gerações, quando o aprendizado por vocês exercido se transformará em ensinamento.

Brilhantes diplomadas e diplomados.

É chegada a hora em que o FB UNI já começa a sentir saudades. Vocês chegaram a este mundo para sonhar e realizar sonhos, os seus e os das gerações que os antecederam. Que suas conquistas sejam os motivos da felicidade de muita gente, de vocês próprios, de quem veio antes, de quem está ao seu lado e de quem está por vir.

Estamos nos sentindo como o pássaro quando o seu filhote nasce, dá um trabalhinho, cresce, voa, conhece novos pássaros, lhes ensina o que aprendeu, muitas vezes até gera descendentes, mas quase sempre volta. E, então, desejamos aos neobacharéis: Vão, voem e depois voltem. Voem novamente, vão, mas voltem. O FB UNI é de vocês.

Muito obrigado.