Discursos

03/02/2018

DISCURSO PROFERIDO NA COLAÇÃO DE GRAU FB UNI 2017.2

Prof. Tales de Sá Cavalcante (Diretor Superintendente da Organização Educacional Farias Brito)

Caro Professor Genuino Sales, em nome de quem saúdo todos os participantes da mesa;

Autoridades presentes;

Diretores, coordenadores, professores, psicólogas e colaboradores do Centro Universitário Farias Brito;

Prezadas e prezados bacharéis;

Senhoras e senhores;

Boa noite.

Dizem que cada um de nós tem cerca de três grandes momentos em sua vida. Sem dúvida, hoje se dá um desses para cada um dos que ora se graduam.

São por demais justas estas homenagens. Entretanto, peço-lhes vênia para dividir as honras de hoje com outras pessoas. Elas também as merecem.

Refiro-me, inicialmente, às suas mães e aos seus pais. Eles envidaram grandes esforços a objetivar este magno momento, e a FB UNI homenageia todos eles em nome de dois casais. Um deles é o casal Neide Maria e Tadeu Castelo Branco, mãe e pai da ora diplomada Maria Matias Castelo Branco Barros. Ela, seu pai e eu podemos nos chamar “colegas FB”, pois Maria e eu, em toda a nossa existência, estudamos em apenas uma Instituição, a mesma onde seu pai estudou do 6º Ano do Fundamental ao 3º Ano do Ensino Médio: a Organização Educacional Farias Brito. Seu pai e eu podemos nos considerar “colegas de trabalho FB”, por labutarmos em toda a nossa vida num só lugar: o Farias Brito. O outro casal é formado por Fany e Roberto Ribeiro, meu confrade na Academia Cearense de Retórica. Eles são pais da recém-formada Roberta Vladia Pereira Ribeiro e do Professor Roberto Victor, em nome de quem saúdo todos os professores.

De igual modo, merecem os parabéns avós e avôs, em nome dos quais cito Terezita Aguiar e seu marido, o Ministro Ubiratan Aguiar, eminente figura da política e da intelectualidade e Presidente da Academia Cearense de Letras, avós da agora graduada Neysia Aguiar de Aquino. Também merecem felicitações irmãs, irmãos, madrinhas, padrinhos, cônjuges, em nome de quem homenageamos a Dra. Erika Moura, ilustre Titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza e esposa do neobacharel Clayton José de Alcântara Moura, como também namoradas, namorados, noivas, noivos, amigas e amigos, todos grandes impulsionadores destas graduações.

São também dignos de agradecimentos diretores, coordenadores, psicólogas e colaboradores da FB UNI e todos os professores que escreveram com vocês a história de sua vida estudantil desde o Ensino Infantil, especialmente os mestres que coroaram esse percurso com o Ensino Superior. Todos eles estarão presentes para sempre nas lembranças dos tempos de alunas e alunos da então Faculdade. Esta, ao passar de Faculdade para Centro Universitário, sofreu mudança apenas no título, pois continua Farias Brito e permanece de vocês, para toda a vida.

Em 8 de outubro de 2001, foi inaugurada a Faculdade Farias Brito. Sua Aula Magna marcou o início de suas atividades, com um único curso: Direito. E nossos primeiros alunos receberam as orientações das maiores autoridades do Direito em nosso Estado àquela data: Desembargador Haroldo Rodrigues, Presidente do Tribunal de Justiça do Ceará, Dra. Socorro França, Procuradora-Geral do Estado, e Dr. Paulo Quezado, Presidente da OAB Ceará. Foram eles por nós convidados não apenas pela notoriedade de seus cargos, mas, principalmente, pela reconhecida dignidade de suas índoles.

Naquela ocasião, eu tinha a honra de representar nossa Diretora-Presidente, a Professora Hildete Brasil de Sá Cavalcante, minha mãe, e discursava em nome de nossos 548 colaboradores, entre professores e funcionários, quando dizia:

“O Farias Brito teve e terá grandes e audaciosos sonhos, pois nunca realizaremos mais do que sonhamos.

Foi para nós um grande feito a realização de nossa Faculdade. Mas não foi nossa maior vitória. Nossa maior conquista sempre será a que está por vir.”

“Inicia-se hoje”, dizia eu, “não apenas uma Faculdade, mas um centro de estudos do Direito, que não se restringirá à sala de aula, mas terá a pretensão de tornar-se uma referência na cidade de Fortaleza, com discussões, análises e fóruns de debates no campo jurídico, por meio dos mais variados projetos de extensão.

Não estamos aqui com o propósito de apenas entregar-lhes diplomas ao final do curso, mas com a firme intenção de prepará-los ao nível das melhores faculdades, a começar pelo mérito da coordenação e do quadro de professores. Dos seis professores, incluindo nosso coordenador Marcos Colares, cinco são Mestres, sendo que três deles são pré-Doutores e o sexto professor está concluindo o seu Mestrado, já é Juiz Federal e foi, para nosso orgulho, brilhante aluno do Farias Brito, desde o 7º Ano. Trata-se do Professor Leonardo Resende.”

Leonardo, ainda hoje, é nosso professor.

Notáveis diplomadas e diplomados.

Hoje, podemos dizer que muitos sonhos se realizaram. Após sucessivas avaliações, o Ministério da Educação promoveu nossa Faculdade a Centro Universitário, e vocês, nobres bacharelas e bacharéis, fazem história também por serem os primeiros com diplomas da FB UNI.

Ao longo desses 17 anos, o total de colaboradores passou de 548 para 1.682. O número de professores do Centro Universitário passou de 6 para 124; antes eram 1 Mestrando e 5 Mestres, agora são 32 Especialistas, 70 Mestres, 21 Doutores e 1 Pós-Doutor. Nesse período, entregamos à sociedade 1.713 jovens graduados de alto nível, preparados por grandes professores, orientados pelo mestre dos mestres, Genuino Sales, para quem “o homem é um ser inconcluso, que aprende enquanto vive e que vive enquanto aprende”.

Nossos professores, pelo seu brilho, chegam a esta Instituição como verdadeiros diamantes, e a orientação do Professor Genuino exerce a lapidação. E quando vocês chegaram também como diamantes, nossos professores os lapidaram. São vocês hoje entregues à sociedade como os diamantes de maior valor. São as joias que mais reluzem, pois seu brilho é de conhecimento.

Após 17 anos, sentimo-nos orgulhosos ao observar inúmeros jovens formados na FFB como destaques no mundo profissional. Como exemplos, podemos citar a ex-aluna do Curso de Ciência da Computação Marcela Alves, primeira brasileira a participar do conceituado Wolfram Science Summer, curso de verão que ensina a fazer projetos nas fronteiras da ciência, tecnologia e inovação; Josinaldo da Silva Batista, também ex-aluno do Curso de Ciência da Computação, que participou do Student to Business, uma iniciativa da Microsoft que capacita estudantes nas áreas de TI, e destacou-se em diversas oportunidades, sendo convidado em 2012 para o evento da Microsoft na Cidade do México, que reuniu jovens de vários países, visando discutir novas ideias para melhorar o mundo por meio da tecnologia; e Gabriella Nascimento Marquete, ex-aluna do Curso de Direito, que hoje é Procuradora da Fazenda Nacional. Gabriella é filha de nossa Diretora da Sede FB Central, Vera Nascimento.

Ilustres graduadas e graduados.

A história de cada um de vocês é o texto do legado que deixarão. Cada um possui uma trajetória vitoriosa, que, sem dúvida, assim continuará. Iniciaram os estudos no Curso Infantil com a “tia”, recebedora desse título pelo imenso carinho manifestado. Ali iniciaram rico período, quando conquistaram novos amigos e amigas.

Venceram o primeiro grande desafio da vida escolar, quando aprenderam a ler, escrever e contar. Já podiam se expressar pela escrita e receber lições de grandes escritores. Ultrapassaram os desafios apresentados no Ensino Fundamental, cursaram o Ensino Médio com sucesso e enfrentaram o processo seletivo do Ensino Superior. Aqui estão, merecidamente homenageados, na conclusão de mais um ciclo de estudos.

A exemplo dos grandes homens da história, vocês deixarão marcas de suas atitudes. Assim fez o grande estadista Winston Churchill, autor de algumas lições que, embora no contexto da Segunda Guerra Mundial, podem ser utilizadas como bússolas de suas novas vidas profissionais e correspondentes competições do mundo atual.

“Ofereça o privilégio do sacrifício.” Churchill pôs em prática essa máxima quando disse: “Não tenho nada a oferecer além de sangue, sacrifício, lágrimas e suor.”

“Defina o seu destino. É melhor fazer história do que se submeter a ela; ser um ator em vez de um crítico.

Faça o que tem de ser feito.

Seja justo. É preciso ser justo antes de ser generoso.

Estabeleça limites. Preferíamos ver Londres em ruínas e cinzas do que vê-la escravizada, submissa e humilhada.

Não tente ser alguém que você não é. Nunca ceda, nunca ceda, nunca, nunca, nunca, – em nada, grande ou pequeno, importante ou trivial – nunca ceda, exceto por convicções de honra e bom senso.

Diga sempre a verdade.

Recuse a oferta do tirano. Os ditadores andam, de um lado ao outro, montados em tigres dos quais eles não ousam desmontar. E os tigres estão ficando com fome.

Aproveite a adversidade.

Coloque as ameaças em seu devido lugar.

Desafie-os.

Receba as dificuldades como uma oportunidade.

Proporcione perspectiva, crie prioridades.

Reúna bons parceiros.

Adapte-se ao momento e ao local. A mensagem do pôr do sol é de tristeza; a mensagem do amanhecer é de esperança.

Vença. A vitória, vitória a qualquer custo, vitória apesar de todo o terror, vitória, por mais longo e árduo que possa ter sido o caminho; porque sem vitória não há sobrevivência.”

Diletas e diletos neobacharelas e neobacharéis.

Toda conquista traz responsabilidades. Como líderes, ao se formarem, vocês se tornaram a esperança da sociedade na solução dos problemas de nosso país. E a violência é um deles.

Soubemos recentemente pela imprensa que uma facção deixara recado em calçada de batalhão policial por meio do escrito: “Tudo nosso.” A verdade é que tudo não é dos membros da facção nem da polícia, mas dos mais de 207 milhões de brasileiros. O problema da violência não é só da polícia. É de todos nós. Não adianta apenas prender bandidos. A causa da violência está na desigualdade social. Não adianta atuar apenas na consequência, sem agir na causa. As cotas criadas pelo governo para garantir o ingresso nas universidades deveriam agir não quando o aluno ingressa no Ensino Superior e sim quando nasce, fornecendo-lhe saúde, boas escolas e oportunidades iguais às de todas as crianças.

Mais importante do que as mudanças que vocês efetuarão no labor diário são as que mudarão o país. E, para tal, estamos no período adequado. Ainda neste ano, em outubro, teremos eleições, e a permanência ou ausência dos maus políticos depende do seu voto.

Brilhantes bacharelas e bacharéis.

Para a nova vida que agora se inicia, desejamos que vocês sigam Geraldo Vandré quando entoou: “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.”

Façam a hora. Mudem esta cidade, este Estado e este país. Desejamos-lhes muita responsabilidade, ousadia e, acima de tudo, a capacidade de apaixonadamente sonhar com um mundo melhor.  Porque, conforme as imortais palavras de William Shakespeare, “enquanto houver um louco, um poeta e um amante, haverá sonho, amor e fantasia. E enquanto houver sonho, amor e fantasia, haverá esperança.”

Sonhem, amem e fantasiem. E aí os brasileiros terão esperança.

Um abraço de todos que fazem o Centro Universitário Farias Brito. Até breve e muito obrigado. 

 

 

Veja mais

05/08/2017
( Prof. Tales de Sá Cavalcante (Diretor Superintendente da Organização Educacional Farias Brito) )
06/02/2017
( Prof. Tales de Sá Cavalcante (Diretor Superintendente da Organização Educacional Farias Brito) )
06/08/2016
( Prof. Tales de Sá Cavalcante (Diretor Superintendente da Organização Educacional Farias Brito) )
20/02/2016
( Prof. Tales de Sá Cavalcante (Diretor Superintendente da Organização Educacional Farias Brito) )
22/08/2015
( Prof. Tales de Sá Cavalcante (Diretor Superintendente da Organização Educacional Farias Brito) )